Tirei os meus sisos todos

tireiossisos

Quando o assunto é ir ao dentista, quem é que não fica com borboletas nervosas na barriga?! E eu fui lá e tirei os sisos…

Tudo começa com o querer colocar aparelho – e para isso tinha de tirar os meus sisos. E eu tive um bocadinho de sorte e só tinha 3. O primeiro que tirei foi um siso superior, e foi há uns anos trás. Doeu-me de tal maneira que não voltei para tirar os restantes.

Mas este ano estava decidida a tirá-los. Foi um processo complexo. Marquei umas três vezes, em que na primeira baldei-me tal era o medo. Na segunda a dentista não tinha tempo para tirar os dois, e eu acabei por não tirar nenhum. E à terceira foi de vez!

Estava mais que esclarecido que eu tinha de tirar os dois ao mesmo tempo. Apesar de serem em lados opostos da boca eu preferia, caso me doesse muito eu não iria voltar.

Foram semanas tensas, eu sabia que os dois estavam semi inclusos – sinónimo de “coisa difícil de tirar!”. E nessas semanas eu li tudo sobre “sisos inclusos”, eu vi videos – eu queria saber tudo! Pois eu já sabia de todas as experiências de quem partilhou na internet.

E o dia chegou…

A minha consulta era as 14h, nesse dia comi tudo o que queria – já sabia que ia entrar em dieta restrita. E desde que cheguei a clínica até me sentar na cadeira do dentista, toda eu era nervos.

Entrei, sentei-me na cadeira – tinha uma marcação de 1h30. Estava tudo pronto, para por fim a estes sisos. Fui anestesiada, enquanto a anestesia fazia efeito iamos falando e tentando que eu descontraísse. Já estava sob efeito da anestesia, e 5 minutos depois ela extrai o primeiro siso. E apesar de torto e enorme, ele saiu inteirinho! WooooW eu nem estava a acreditar.

Partimos para o segundo, este também semi incluso, e com pouco espaço para a extracção. Deu um pouco mais de luta, mas em um par de minutos lá saiu. Também inteiro! Tirei os sisos, finalmente!!

Uma coisa para durar hora e meia, tratou-se em meia hora. E de todas as experiências que eu já tinha lido, fui surpreendida com a minha própria experiência.

Sai da clínica com um saco de gelo em cada bochecha, e com uma dieta liquida e fria pela frente. Com medicação para as dores e antibiótico. Nas semanas seguintes teria de seguir uma alimentação mais pastosa, e evitar sementes e ingredientes mais pequenos de modo a não se acumular nos locais onde foram as extracções.

Os buracos foram fechando, e entre 4 a 6 meses estaria pronta para começar a fazer os estudos para a colocação de aparelho.

Photo by: Lindsay Moe

Também podes ter interesse nestes assuntos:

Revolut, o cartão ideal para as viagens

5 dicas para aumentares a tua produtividade

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.